Quase lá! Dica da 4ª etapa do Grande Prêmio Petrobras

É isso aí pessoal. Chegaram bem até a 4ª etapa do Grande Prêmio Petrobras?

Como sempre, quem visitar esse espaço terá uma dica com antecedência. E a da próxima fase é a seguinte

“Segundo a Ankaa, o último passo para recuperar a memória do Otávio é encontrar dados recentes sobre ele. Muitos pacientes costumam guardar alguma lembrança relacionadas ao seu último dia antes de ir até a Ankaa.”

Boa sorte a todos. Lembrando que para resolver os enigmas, vocês devem acessar http://www.grandepremiopetrobras.com.br . E quem ainda não se cadastrou, pode fazer isso e resolver as etapas realizadas até o momento. Aqui você tem mais informações sobre como se inscrever no desafio!

Grande Prêmio Petrobrás – Dica da 3ª etapa

Dificuldades para passar da 3ª etapa do Grande Prêmio Petrobras?

A solução para os seus problemas pode estar nesse post. Basta você ler a dica abaixo:

“Em uma das áreas restritas do site da Ankaa, diz que agora devemos recuperar a memória sensorial dele. Pode ser uma imagem, um som ou até mesmo um cheiro marcante.”

Como sempre, o desafio começa no http://www.grandepremiopetrobras.com.br .

Boa sorte à todos!

Grande Prêmio Petrobras – dica da segunda etapa!

Depois de mais um final de semana de F-1, espero que tenham conseguido passar pela primeira fase do Grande Prêmio Petrobrás, afinal o prêmio é muito bom!

A boa notícia é que aqueles que já terminaram a primeira etapa já podem começar a queimar seus neurônios para a segunda fase. E, como sempre, o Pé na Tábua tem uma dica preciosa para vocês. Segue:

“Através de mais um relatório da Ankaa, a próxima tarefa será recuperar uma memória de longo prazo que represente um grande feito do paciente. Descobrindo o que foi esse grande feito, recuperamos todas as lembranças antigas dele.”

Bom, antes de mais nada, sugiro vocês visitarem o http://www.grandepremiopetrobras.com.br . Sempre há algo interessante por lá!

Boa sorte a todos.

Primeira dica!

Agora que vocês sabem do que se trata o mistério, chegou a hora de participar para valer. Lembro que o desafio terá como prêmio um ingresso para o GP Brasil, com direito a acompanhante.

Como sou muito camarada com quem ajudou o Pé na Tábua (se não sabe como fazer isso, clique aqui), vou dar uma dica para a primeira das cinco etapas do desafio. Prestem atenção abaixo:

“Segundo o relatório do Laboratório Ankaa, precisamos recuperar uma memória de longo prazo que seja traumática na vida do Otávio. A maior parte dos pacientes recupera essa lembrança através de algo ruim que tenha acontecido na sua infância. E todos sabem como, as vezes, crianças podem ser cruéis com os amigos, principalmente no colégio”.

Mais que isso, não sei. Lembro a todos os leitores que, se precisarem de ajuda, estou à disposição para auxiliá-los por meio da seção de comentários.

Boa sorte a todos!

Sem mistério…conto com vocês!

Lembram do “mistério do capacete”? Pois, se não lembram, vejam o post abaixo desse…hehehe

Pois é, finalmente ele foi revelado. O blog Pé na Tábua, representado por essa figura que vos escreve, foi convidado a participar do Grande Prêmio Petrobras.

E o que seria esse “Grande Prêmio Petrobras”?

Simples. É uma disputa que vale, nada mais nada menos, do que dois ingressos (com seus respectivos acompanhantes) para o GP Brasil de F1, sendo que o blog vencedor também estará em Interlagos.

O que eu preciso fazer?

A primeira etapa do GPP ocorreu no último domingo, dia 27, e consistiu numa visita ao ateliê do maior pintor de capacetes do Brasil, o Sid Mosca. Lá, os blogs convidados participaram de uma disputa em um simulador de F-1 em Interlagos. Utilizando de técnicas de pilotagem avançadas e de um comportamento exemplar na pista, o Pé na Tábua ficou na segunda colocação. Enquanto a técnica me ajudou a superar os demais concorrentes, o comportamento exemplar evitou que eu fizesse qualquer manobra suja para derrotar o primeiro colocado…hehe

E é justamente na segunda etapa que eu preciso da ajuda de vocês, amigos leitores. Sua função é simples e eu a colocarei aqui embaixo:

1 – Acessem o site http://www.grandepremiopetrobras.com.br/

2 – Cadastrem-se e escolham como blog de origem o “Peh na Tábua”

Pronto. Simples, rápido e fácil.  Conto com a ajuda de vocês!! Lembrando que a competição vale para todo o Brasil e os vencedores terão todas as despesas pagas pela organização!

Mistério

Quem não gosta de ganhar presentes? Ainda mais se for algo legal e que me será bastante útil…

Pois bem, estava trabalhando de casa quando chega uma caixa misteriosa para mim. O entregador, aliás, deve ter achado engraçado, já que fui abrir o portão completamente despenteado e com um moleton rasgado. Enfim, voltemos o presente…

Eis que, ao abrir a caixa, encontro isso:

P1030406
Dentro da caixa, encontro uma mensagem com os seguintes dizeres:

“Muito bem!

Esse capacete é seu. Nada mais justo, já que você topou me ajudar.

Agora eu quero ver se você consegue passar por um desafio de velocidade. Meus ajudantes irão levar você para um lugar que, acredito, você vai achar bem interessante.

Você só precisa confirmar sua presença.

Boa sorte.

O.O”

Mais detalhes não foram revelados. Não sei quem me presenteou. Não sei porque me presenteou. Ao que parece, o mistério está apenas começando. Assim que eu tiver novidades, posto aqui!

Sobre o acidente de Felipe Massa

Existe uma pequena diferença entre infelicidade e fatalidade. Felizmente, o caso do acidente de Felipe nos treinos classificatórios para o GP da Hungria não resultou em uma tragédia – ao contrário do ocorrido com Henry Surtees, na F-2 – e, no final, isso é o que importa.

Por se tratar de uma infelicidade, não acredito que o ocorrido com o brasileiro resulte em mudanças drásticas na segurança da categoria. Atualmente, os carros de F-1 são seguros e prova disso é que há 15 anos não acontece nenhuma morte nas pistas. Basta lembrar que, em 2007, Robert Kubica sofreu um acidente de proporções catastróficas no Canadá e saiu inteiro.

Por sua vez, o que ocorreu com Massa mostra que não é possível controlar todas as situações. A própria circunstância do acidente – uma peça soltar-se do carro de Barrichello, quicar pela pista e atingir exatamente a única parte exposta do piloto que vem atrás – é atípica, improvável de acontecer.

E justamente essa improbabilidade que diferencia os acidentes de Massa e Surtees. O caso do piloto da F-2, atingido por um pneu errante pela pista, denota de uma falha de equipamento. Após Jack Clarke bater, o cabo de kevlar (material usado, por exemplo, em coletes à prova de bala) deveria prender a roda e evitar que ela soltasse, o que não acabou acontecendo e vitimou o jovem piloto britânico.

Sorte

Ao analisarmos a dinâmica do acidente de Massa, é possível concluir que o brasileiro teve uma dose cavalar de sorte. A começar pelo formato da peça, uma mola. Cilíndrica e sem possuir pontas, atingiu exatamente acima da viseira do capacete. Tivesse colidido alguns centímetros mais abaixo, possivelmente o destino de Massa seria outro, mesmo levando em conta que as viseiras dos capacetes Schuberth – marca usada pelo piloto – seja à prova de balas. Caso fosse pontiaguda, poderia ter causado danos mais graves e, talvez, fatais.

Outro fator determinante para a sobrevivência do brasileiro foi a resistência do seu equipamento. Como dito acima, além das viseiras à prova de balas, os capacetes da marca alemã são feitos de kevlar e fibra de carbono, contrução semelhante à das células de sobrevivência dos carros.

Por fim, Massa também teve sorte em não bater a toda velocidade. Após ser atingido pela mola, perdeu a consciência e seus pés apoiaram-se sobre ambos os pedais, fazendo o carro frear e acelerar ao mesmo tempo. Mesmo que a pressão no pedal de freio tenha sido insuficiente para parar o carro, ela ajudou a evitar que sua velocidade aumentasse. Bater a toda velocidade, segurando o volante, poderia ter causado traumas em suas mãos e pés.

Abaixo, coloco um vídeo com uma simulação do acidente em 3D, além de depoimentos de chefes de equipe e pilotos. Massa está internado no hospital militar de Budapeste. Está em coma induzido, procedimento utilizado para tratar lesões cerebrais – além do corte, Felipe teve uma pequena contusão no cérebro, resultando em um edema. Fisicamente, deverá ter uma recuperação plena. Psicologicamente, só o futuro dirá.


Quem acelera aqui

Rodrigo Lara é jornalista e tem 24 anos. Viciado em esportes, curte especialmente aqueles que reúnem gasolina, velocidade e carros.

@ Twitter

O passado está aqui

Categorias

Blog Stats

  • 12,768 hits

Posts por data

agosto 2016
S T Q Q S S D
« out    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Quer comprar artigos importados?


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.